5 Lições do Filme Lembranças (Remember Me)

Ontem (quinta-feira) tive a oportunidade de assistir ao filme Lembranças, com o Robert Pattinson e Pierce Brosnan. O filme não agradou, mas também não desagradou (é uma história original, mas pouco tocante).

Durante o filme, observei várias coisas que eu queria compartilhar com vocês… algumas são lições de moral, outras são simplesmente observações sobre o filme. (PODE CONTER SPOILERS DO FILME)

LIÇÃO 1 – O que o Robert Pattinson tem de mais???

Bom, muitas pessoas vão me xingar, falar que eu sou doida e tudo mais, mas eu ainda não consigo perceber nenhuma paixão nas atuações de Robert Pattinson… ele é, resumindo, sem-graça!!! Eu não consigo acreditar no amor de Tyler por Ally, não consigo entender porque ele fala de justiça sem realmente desejar que ela seja feita e não consigo me convencer que ele realmente tenha tanta raiva do pai (Pierce Brosnan)… é tudo muito vago ou inexpressivo, sem desejo algum… os olhos dele, principalmente, são completamente vazios! Um personagem tão complexo como Tyler – amante de livros, fumante, descrente do amor do pai, louco pela irmã etc – merecia um pouco mais de atenção, na minha humilde opinião.
Isso tudo é um pouco influenciado pelo fato de que não acho ele bonito… se ele não usou dublê, as costas dele são muito bonitas, mas o nariz é muito esquisito… (#faleimesmo XP)
Ele não é charmoso… e nem é um esquisito atraente… além de, na minha opinião, não convencer como ator! E isso porque não quero ofender quem discorda da minha opinião!

LIÇÃO 2 – Crianças são mesmo criaturas inocentes???

Para mim, uma das personagens mais intensas do filme é Caroline, a irmã mais nova de Tyler, super inteligente e também distraída, fofa e o ponto de apoio do irmão. E foi por causa dela que eu mais sofri no filme: ela acha que não é amada pelo pai, as colegas de classe a rejeitam e a chamam de esquisita. Ainda assim, ela tenta ganhar respeito do pai e tenta se enturmar na sala de aula.
Ela, então, aceita o convite de ir a uma festa do pijama na casa das colegas de classe e acorda com o cabelo todo cortado pela metade (graças às “amiguinhas” inocentes dela). O cabelo é totalmente estraçalhado, fazendo com que a menina tenha que adotar um corte super curto – e ainda assim, as meninas responsáveis não sofreram nenhuma repreensão e continuaram a caçoar de Caroline.
Agora me diga: você realmente acha que isso é coisa só de filme??? Eu não… elas estão longe de serem criaturas inocentes, pois são um reflexo da (má) criação de pais que não aceitam diferenças. As crianças são educadas para não aceitarem nada diferente, tudo tem que ter o padrão bonequinha ou “menino não chora”. Se uma outra criança é um pouco diferente (cor da pele, usa óculos, é mais cheinha ou algo assim), as outras não vão aceitá-la como amiga. E elas realmente apontam, riem, e TRAUMATIZAM!

E ainda tem aquelas pessoas que dizem que elas estão sendo apenas crianças…

LIÇÃO 3 – Um pai ausente pode se importar… da sua maneira

Pierce Brosnan interpretou meu segundo personagem favorito no filme: Sr Hawkins. Pai de Tyler.
Ele é o típico retrato de um pai ausente: super ocupado com a profissão, parece estar sempre mal-humorado perto dos filhos e no fundo se importa bastante com eles.
O ator interpreta um famoso executivo de Nova York (se ser executivo em qualquer lugar do mundo já é suicídio social, imagina em Nova York!), cujo filho do meio está em uma fase de se rebelar. Ele abre mão de diversos momentos com os filhos para garantir que ele ainda tenha alguma coisa a oferecer: conforto e riqueza.
E no final, ele demonstra estar ainda mais interessado no bem-estar dos filhos ao pagar a fiança de Tyler e também ao se importar com a situação de Caroline ao tentar tirar as meninas responsáveis pelo incidente da escola, através de pressões financeiras e leva a mesma ao colégio (influência pode resolver muitos problemas)… as fotos dos filhos são o papel de parede do computador dele, ou seja, não importa o quanto os filhos não acreditem que ele os ama, o pai deles sempre irá amar eles.
Agora imagino eu a dor insuportável que esse homem (o personagem, claro), suporta no final do filme, quando seu segundo filho também morre aos 22 anos… é muito sofrimento, e ele sofre calado.

LIÇÃO 4 – O que faz mal!

Vícios muitas vezes deixam as pessoas mais fragilizadas, impotentes e sujeitas a diversos riscos.
Ally demonstrou que bebida demais faz mal… (e que tomar um porre de celular descarregado é pior ainda). Claro que não estou falando para nunca mais beber… mas beber com moderação (como recomenda as propagandas de bebida no Brasil): faz bem, ninguém perde a consciência dos atos e aproveita o momento ao invés de paquerar a privada!

Ally também fez um comentário interessante, ao perguntar a Caroline se ela não se incomodava com o fato de que Tyler fumava perto dela. Fumar faz muito mal à saúde, mas o pior mesmo é quando os fumantes acham que podem fumar em qualquer lugar, que não vai atrapalhar ninguém! Tenha isso em mente: fumantes passivos são tão prejudicados quanto fumantes, em questão de conseqüências à exposição à nicotina.

Para refletir: os seus vícios podem prejudicar as pessoas a sua volta!

LIÇÃO 5 – A influência das pessoas na nossa vida!

Michael, a mãe de Ally e até mesmo Tyler… são pessoas que morreram de maneiras diferentes e deixaram uma marca.
Ally parou de andar de metrô, após sua mãe ter sido morta por dois assaltantes no metrô de NY (aquele metrô a noite é completamente ASSUSTADOR!!!), porque coisas assim realmente traumatizam a gente, certo? E também acho que o pai dela é super protetor por esse motivo… violência está espalhada por aí!!
Michael se suicidou, mesmo sendo um músico talentoso, pois – pelo que eu entendi do filme – ele não agüentou as pressões que surgiram em sua vida e que o impedia de seguir seus sonhos. Ainda assim ele tem a admiração do irmão Tyler (que tem uma tatuagem com o nome do irmão) e da irmã Caroline, assim como o amor da mãe, que chora ao lembrar de Michael. Esse tipo de pessoa, por mais que tenha feito uma última escolha errada, sempre será uma parte de nós e sempre iremos lembrar dessas pessoas com admiração.
O último incidente foi a queda do World Trade Center, a qual matou Tyler. O garoto, que tentava fazer as escolhas certas, acabou morrendo junto a milhares de pessoas no 11 de setembro de 2001. Quantas pessoas tão boas ou melhores que Tyler também morreram nesse dia? Difícil saber…

O roomate de Tyler tatuou o nome do garoto no braço, provavelmente por admiração… e o que nós sentimos em relação às pessoas que, infelizmente ou felizmente, já deixaram esse mundo??? Como saber, portanto, se nossos medos, escolhas e afins, estão relacionados ao que outras pessoas passaram ou fizeram no passado?

Anúncios

3 pensamentos sobre “5 Lições do Filme Lembranças (Remember Me)

  1. Ahhh..para de falar que o amor da minha vida é feio tááááá…boba! =p
    hahahaha

    Mas eu gostei do filme… eu pensei do tyler um pouco diferente… tipo uma pessoa revoltada, que quer mudar tudo, acha as coisas injustas…mas não sabe o que fazer pra que as coisas mudem…então ele é meio incógnito, inexpressivo etc e tals. Eu achei que o Rob fez bem.
    A irmãnzinha ele é show… muito boa a atriz e muito bom o papel dela… eu achei ela uma minitura falante do tyler…hauahua

    E adorei a lição 5!!!

    =)

  2. -Eu li das vezes nao pelo fato de naoo entender mais sim do que ela disse esse filme e uma liçao em nossas vida Robert Pattinson pode ser bbonito lindo gato charmoso mais ele e que nem a gente um ser humano apesar de ser Tyler e Edward que sao dois papeis lindos!!!!
    Ela ta de parabens amei o que vc escreveu amei mesmo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s