Abrindo as portas para o preconceito…

O que é o Nordeste para o Brasil? Foi uma pergunta que rodou a internet… Acredito eu que as eleições de 2010 despertaram o que há de pior no Brasileiro: preconceito.

 

Li muitas reportagem demonstrando que, mesmo sem os votos do Nordeste e do Norte, a candidata eleita ainda seria eleita, por causa de Minas Gerais e Rio de Janeiro (dois dos três maiores sítios eleitorais do Brasil). O problema nas eleições não pode ser jogado para cima dos nordestinos… mas acredito que a situação desencadeou uma série de críticas que já estavam intrínsecas aos Brasileiros, mesmo antes da eleição – foi como colocar para fora o que estava entalado na garganta.

 

O Nordeste foi a porta do “descobrimento” do Brasil, permitiu a consagração dos engenhos de açúcar e era forte o suficiente para impedir que os territórios fossem invadidos por holandeses ou franceses… mas o Nordeste também foi esquecido, quando a família real portuguesa chegou ao Brasil. De Salvador, toda a estrutura política e econômica começou a ser transferida para o Rio de Janeiro e São Paulo. E cada vez mais marginalizada, essa região não só lida com a falta de atenção do governo, como também tem que agüentar reclamação por causa das escolhas deles? Não os culpo por viverem na miséria, não os culpo por buscarem a migração como alternativa para uma vida melhor e não os culpo pela eleição…

 

Preconceito é assim mesmo, né? Surge em momentos de exaltação, é despertado em pessoas que se dizem corretas e acabam provando ser falsas…

 

E o sistema de cotas para negros e índios? Para mim, é uma falta de respeito: primeiro porque é uma maneira subliminar de chamar os negros e índios de burros e menos capazes… e segundo porque define exatamente as pessoas que podem vir a sofrer preconceito. Isso significa que, se alguma outra pessoa (seja, branca, amarela ou mestiça) não entrar para a faculdade porque outra pessoa conseguiu faze-lo com as cotas para negros e índios, ela pode culpar exatamente essas pessoas que entraram – ou seja, querendo ou não, as cotas podem sim aumentar o preconceito, contradizendo toda a sua proposta. Melhor determinar que quem possui o direito a cotas são pessoas oriundas do sistema público de educação (que vamos combinar, não é mesmo dos melhores quando se trata de ensino fundamental e médio), uma vez que isso está atrelado a fatores econômicos e sociais e não físicos/biológicos. Quem usava de fatores físicos e biológicos para subjulgar os outros eram os nazistas – e eu espero que isso já tenha ficado no passado!

 

Ou seja: as pessoas reclamam que o Nordeste é um atraso, reclamam que o sistema de inclusão é ineficiente, e eu só enxergo preconceito em tudo isso… Isso simplesmente não condiz com um país cuja miscigenação foi essencial para a composição tanto cultural quanto econômica do país!

 

Só que precisou desse “choque” causado pelas eleições, que demonstrou um lado sujo e insatisfeito do Brasil. Isso só serve para deixar claro o quanto não conhecemos as pessoas que aqui vivem, o quanto ainda existe preconceito, pessoas querendo se impor e outros problemas… alô brasileiros: o país ta longe de ser perfeito, isso é óbvio, mas temos que querer mudar o país, parem de ficar só reclamando e xingando os outros gratuitamente e vamos fazer alguma coisa que realmente faça a diferença!!!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s