Livro: Mockinjay (Esperança)

Em menos de uma semana, terminei toda a série Jogos Vorazes. Empolguei! Cuidado: a resenha tem MUITOS spoilers!

Nesse livro, Katniss descobre que o distrito onde morava foi completamente destruído, muitas pessoas que ela conhecia morreram e agora ela mora em uma cidade subterrânea do distrito 13. Só que ela deve engolir isso e aparecer como o símbolo da revolução contra o Capitol – vários distritos estão se rebelando. E por mais que ela enxergue as injustiças do Capitol, o coração dela se despedaça ao ver que o Capitol está usando e acabando com o Peeta por causa das rebeliões.

E para garantir que o fogo da rebelião não apague e que Katniss continue como figura pública sem os desgastes de se preocupar com Peeta, uma missão de resgate é planejada. Só que ao resgatar Peeta, descobre-se que o Capitol alterou suas memórias e ele simplesmente passa a odiar Katniss.

E a vontade de acabar com o presidente Snow só aumenta – a ponto de participar de um dos grupos de invasão do Capitol. Ao chegar na cidade, são grandes os desafios que antecedem o encontro com Snow: armadilhas, mutações, mortes, surtos, explosões… O problema é quando você se apega a uma personagem nesse livro, as chances dela morrer são grandes! Isso é triste ao mesmo tempo que é outro ponto positivo –  ninguém merece autor que tem dó de matar personagens importantes só para que todo mundo viva feliz para sempre.

No final, temos uma reviravolta, quando Katniss percebe que tem que por um fim no ideal dominador do Capitol (para isso, ela mata a responsável pelo lado rebelde que queria continuar com as ações de Snow). Deformada, com a irmã morta, com a mãe e Gale longes, ela volta a vila dos campeões para passar o resto dos seus dias – mesmo que seja em depressão.

O epílogo desse livro, diferentemente do epílogo de Harry Potter, não foi forçado (mesmo mostrando que Katniss se casou com Peeta e teve dois filhos)… e fiquei feliz que a Katniss tenha ficado com o Peeta. Apesar de ser perdidamente apaixonado pela menina, de ser o par romântico principal, Peeta não era a escolha óbvia (não era o grande amigo como Gale, não era a escolha mais confortável)  e ele não é um grude ou cansativo como outros personagens principais são (Edward de Crepúsculo, Damen de Os Imortais e por aí vai).

Depois de três livros, até o final feliz de Suzanne Collins está mais para um longo drama, com um toque de história romana (gladiadores) e até mitologia grega no meio do caminho – mas se as pessoas não gostassem de drama, Shakespeare não seria tão querido.

O livro mantém a ação dos outros, não perde a graça. Suzanne Collins conseguiu fazer uma série interessantíssima. De maneira alguma ela me decepcionou – o livro me prendeu, os personagens são fantástico, a história em si é mega inteligente e bem trabalhada… mas tenho que admitir que eu sou o tipo de pessoa que curte mais a parte dos jogos (mais irreal e imaginária) do que a rebelião em si (revoltas e rebeliões ainda ocorrem ao redor do mundo) e só por isso Esperança/Mockinjay não é meu livro favorito da coleção…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s